21

jul

2017

Produtora socioambiental do Centro-Oeste tem obras exibidas em Moçambique

Dois documentários da Forest Comunicação participam, em 27/07, da Mostra Mensal de Documentários do Centro Cultural Brasil-Moçambique em Maputo, capital do país.
Indígena fotografa atividade durante o maior evento da comunidade dos povos tradicionais no país (Imagem: Forest Comunicação).

Indígena fotografa atividade durante o maior evento da comunidade dos povos tradicionais no país (Imagem: Forest Comunicação).

A melodia dos cantos e as cores de diferentes adereços atraem o olhar. Representantes da etnia Boes mostram os seus adornos e falam sobre suas pinturas e tradições. É assim que o espectador é convidado a entrar no universo de um dos maiores eventos indígenas do país:  os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Envolvido pelos sons, ornamentos e histórias de cooperação, o público do documentário “Ikuiapá – Jogos Indígenas na Terra dos Boes” descobre, em meio à tradição, a presença de novas tecnologias. É uma combinação de conhecimentos milenares com as ferramentas da modernidade.

No segundo curta-metragem, “VI Encontro Indígena de Mato Grosso”, as crianças curiosas da comunidade dos Braidos (brancos na língua Bororo) logo perdem a timidez. As perguntas dos pequenos mostram como a sociedade brasileira sabe pouco sobre os povos tradicionais do país. Os dois eventos, registrados pelas lentes da Forest Comunicação, são uma oportunidade de desmistificar a representação dos indígenas. Os documentários revelam a beleza da diversidade de saberes, línguas e costumes.O curta documental “Ikuiapá – Jogos Indígenas na Terra dos Boes”, produzido em 2014, foi exibido em festivais no Brasil, Nicarágua e Portugal. Em 20 minutos, o apresentador Boe, José Maria Aires Comaecureu, conduz o espectador pela edição de 2013 dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, quando o evento foi realizado em Cuiabá, Mato Grosso.

Agora, o documentário será exibido em Moçambique ao lado de outro curta-metragem da Forest, o “VI Encontro Indígena de Mato Grosso”, que revela o olhar ocidental sobre os povos indígenas. O filme apresenta os cinco dias de atividades culturais e debates entre indígenas e estudantes e professores de Cuiabá (MT). A exibição é uma oportunidade para os moçambicanos conhecerem mais sobre os povos tradicionais brasileiros.

Os filmes têm a direção de Thiago Foresti e a produção executiva de Amanda Fernandes, que encabeçam a produtora independente e ajudam a transformar ideias em realidade. A Forest Comunicação se especializou na pauta socioambiental. O desenvolvimento sustentável e os direitos dos povos tradicionais estão entre seus temas preferenciais. Os documentários abordam a riqueza de vivências com um olhar profissional e o conteúdo envolvente.

A Forest acredita no potencial transformador de contar histórias e de aproximar diferentes povos.  O Centro Cultural Brasil-Moçambique atua desde 1989 na integração entre as culturas afro-brasileira e interafricana. Mensalmente, o CCBM – em parceria com o INSTIDOC (Ciclo do Documentário Institucional) e a Embaixada do Brasil em Maputo – realiza a Mostra Mensal de Documentários que, em julho, vai exibir as duas produções da Forest.

Os filmes serão projetados no dia 27 às 19hs no Centro, e você pode acompanhar as informações no evento do Facebook.

 

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Forest Comunicação 2017
Tree Pixel Agência Digital
Associação Brasileira das Agências de Comunicação